Mem de Sá, 100: cotidiano de travestis é tema de exposição fotográfica em SP

Mem de Sá, 100: cotidiano de travestis é tema de exposição fotográfica em SP

Todas as imagens por Ana Carolina Fernandes. Publicação autorizada pela fotógrafa

 

Durante quase três anos, a fotógrafa carioca Ana Carolina Fernandes frequentou assiduamente o n.100 da Avenida Mem de Sá, na Lapa, Rio de Janeiro. Convidada pela amiga Luana Muniz, a fotógrafa registrou o cotidiano do casarão onde Luana alugava quartos para outras travestis. “Era oportunidade muito rara e fascinante para um fotógrafo: estar dentro de uma comunidade fechada, autorizada, liberada e sem censura”, conta Ana Carolina em entrevista ao site Olhavê. Uma parte do ensaio foi publicado na edição de junho da revista piauí, e a partir de amanhã as fotos estarão expostas na DOC Galeria, em São Paulo.

 

 

 

 

“Sempre quis fotografar a beleza e a sensualidade dos corpos das travestis. E o cotidiano delas na vida doméstica. A rua, a prostituição, cliente/ janela de carro, foto ‘roubada’, pouco ou nada me interessava. Muito mais do que dar voz a um grupo excluído da sociedade, eu queria dar um corpo, sensibilizar, abrir a mente de pessoas que estão acostumadas a pensar o mundo e a sexualidade com padrões de conceito preestabelecidos e prejulgados”, conta Ana Carolina.

 

 

 

“Acredito que esse projeto me escolheu, sinceramente. E não tive quase pesquisa, só fascínio e simpatia. A pesquisa foi in loco e fotografando, observando, ouvindo. Era curioso, eu estava tão à vontade e elas confiavam tanto em mim, a cumplicidade jamais foi arranhada, que às vezes elas até esqueciam que eu estava por lá.”

 

 

 

A abertura da exposição Mem de Sá, 100 é amanhã, 01 de outubro, na DOC Galeria (Rua Aspicuelta, 662, Vila Madalena, SP), e as fotos ficarão expostas até o dia 31 de outubro.