Moda ou pornografia: faça o teste

Moda ou pornografia: faça o teste

Consegue distinguir entre uma peça publicitária de uma marca de roupas e uma foto de divulgação de um filme pornô? Eu achava que sim, até me arriscar no teste Fashion or Porn, elaborado pela NssMagazine. Tente você também (a não ser que seu chefe e colegas de trabalho sejam tão legais quanto o pessoal da Samuel, recomendo que você faça o teste no conforto da sua casa, já que ele apresenta imagens de sexo explícito).

 

Imagem via Fashion or Porn

 

 

Chocante, não? Já joguei três vezes e o máximo a que consegui chegar é 12, já que o teste acaba quando você erra. Jogando mais vezes e conhecendo os resultados, vai ficando cada vez mais impressionante o quanto é difícil distinguir uma coisa da outra. Estética pornô no mundo fashion ou estética fashion no mundo do pornô? Dizem que “sexo vende”; mas insinuações de estupro e violência contra mulheres também ajudam a vender roupas, sapatos e joias? Quem compra esses produtos, e mais importante, quem produz esses anúncios?

 

A ex-editora de moda Caryn Franklin, em um ótimo texto sobre a objetificação das mulheres na moda, na publicidade e na música, comenta que a modelo Kate Moss levou vinte anos para expressar o constrangimento a que foi obrigada a se submeter repetidas vezes em sua carreira, iniciada quando ela tinha 17 anos. Em uma sessão de fotos para um ensaio de moda, a adolescente Kate foi obrigada a atracar-se com as pernas abertas a outro modelo, os dois seminus. “Em sua recente autobiografia, Kate descreve uma sala cheia de adultos, e nenhuma das pessoas presentes na sessão se deu conta da sua vulnerabilidade. (…) Em suas próprias palavras, ela era ‘tão nova’. Ela alude à mesma situação acontecendo repetidas vezes no início de sua carreira, até que ela se acostumou e passou a chorar menos.”

 

Um grupo de universitárias canadenses decidiu inverter os papeis de gênero em peças publicitárias para instigar a reflexão sobre como a maneira em que mulheres e homens são representados na mídia informa e alimenta o machismo nosso de cada dia, a violência contra as mulheres e a objetificação do corpo feminino. Assista ao vídeo e compare as duas versões dos anúncios. O que eles estão querendo dizer?